Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

domingo, 1 de junho de 2014

Feministas reuniram-se neste sábado (31), no Centro de Macapá, para a terceira edição da 'Marcha das Vadias',

Essa vagabunda aqui está cometendo o crime de atentado ao pudor; mas por que ninguém a prende? Por que as feministas podem cometer crimes e sairem impunes?
Mulheres mostram os seios contra o machismo no Amapá
Terceira edição da 'Marcha das Vadias' ocorreu neste sábado, em Macapá.
Mulheres pediram pela igualdade de gêneros e o fim da violência sexual.

Cassio Albuquerque Do G1 AP

Participantes da marcha pintaram o corpo e fizeram cartazes com frases contra o machismo (Foto: Cassio Albuquerque/G1)

Manifestantes reuniram-se neste sábado (31), no Centro de Macapá, para a terceira edição da 'Marcha das Vadias', protesto contrário ao machismo. Em 2014, o ato no Amapá foi de luta contra a cultura do estupro que diz que as mulheres são as principais responsáveis pelos casos de violência sexual registrados no país. O tema da caminhada foi 'Mulheres no Meio do Mundo'.
saiba mais
VEJA FOTOS DA MARCHA DAS VADIAS 2014 NO AMAPÁ
Marcha das Vadias protesta contra agressão sexual no Amapá
A concentração da marcha ocorreu na praça Veiga Cabral. Mulheres de todas as idades pintaram os corpos e produziram cartazes com mensagens de protesto ao machismo no Brasil. O ato seguiu pelas ruas do Centro da cidade.
A estudante Ana Bonfim, de 20 anos, deixou os seios à mostra e pintou o corpo com marcas de mãos para representar a violência e opressão que as mulheres sofrem diariamente.
"Nós precisamos refletir sobre o tema. Recentemente as pesquisas apontaram um dado incorreto que dizia que nós éramos as responsáveis pelos estupros, mas que levantou a discussão sobre a liberdade do gênero. Portanto estamos aqui na rua para pedir igualdade e respeito", reivindicou.
Jhenni Quaresma fala de aumento na violência
doméstica no AP (Foto: Cassio Albuquerque/G1)
A também estudante Jhenni Quaresma, de 20 anos, participou da manifestação e comentou os números apontados pelas entidades de segurança pública sobre violência doméstica. "A cada doze minutos uma mulher é agredida em nosso estado. Isso nos assusta e prova que o machismo mata. Portanto, a luta pelo nosso corpo é um embate político e deve ser debatido de toda forma", frisou.
De acordo com a organizadora da marcha na capital, Rebbeca Braga, as mulheres não querem mais ser tratadas como objeto de submissão e "o resultado dessa independência feminina é percebida principalmente no mercado de trabalho, em locais que antes eram disputados apenas por homens".
"Hoje temos uma marcha consolidada na capital. É um fator bom, pois isso mostra que as mulheres de todas as idades e classes sociais querem uma sociedade sexualmente igualitária. Infelizmente nosso estado ainda sofre com os casos de violência doméstica e sexual, por conta do machismo que está presente direta e indiretamente em nossa sociedade", alertou.
Participantes da marcha produziram cartazes contra o machismo (Foto: Cassio Albuquerque/G1)

A marcha
Iniciada em abril de 2011 no Canadá, a Slut Walk ou Marcha das Vadias foi adotada por diversos países das Américas e da Europa, contra o machismo e preconceito. No Amapá, a marcha é realizada desde 2012 e, segundo a organizadora, surgiu a partir de mobilizações feitas nas redes socais.

Fonte: http://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2014/06/mulheres-mostram-os-seios-contra-o-machismo-no-amapa.html

Meus comentários: Cadê o Ministério Publico e a policia para prender essas vagabundas? Elas cometem crimes de atentado ao pudor, desrespeito aos simbolos religiosos e não são punidas? Quer dizer que no Brasil hoje em dia ninguém mais é punido por cometer crimes?

Nenhum comentário :

Postar um comentário

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...