Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Jovem negra racista diz o que pensa sobre brancos e classe média

Vejam abaixo a massa de manobra em ação. A velha estratégia militar do "dividir para conquistar". O objetivo das comunistas feministas socialistas esquerdistas é dividir a sociedade no maior número de grupinhos rivais possíveis e jogá-los uns contra os outros: negros X brancos; mulheres X homens; gays X heteros; indios X fazendeiros; ecologistas X fazendeiros; corintianos X flamenguistas. O mais triste  é que não adianta a gente explicar para a moça do video abaixo que ela foi vitima de uma manipulação e de uma fraude. De que adianta fazer cotas raciais para entrar numa Universidade; se a economia do país está estagnada há 30 anos consecutivos e os únicos empregos que se encontra são trabalhos de um salário minimo?
Esses programas de cotas raciais, pegam os casos de 1% de negros que entraram pelo sistema de cotas e depois conseguiram um bom emprego de médico ou de funcionário publico. Mas o que esses cotistas não falam, são dos 99% dos negros que ficaram endivididados até o pescoço, para O RESTO DA VIDA com o crédito estudantil, para conseguir um diploma universitário INÚTIL, porque as empresas não pagam mais do que dois salários minimos para as pessoas no Brasil. E elas fazem isso, não por preconceito, mas porque a renda per capita do Brasil é baixa, de menos de 10 mil dólares por ano. Vejam logo abaixo o video de uma moça negra ALIENADA e a favor das cotas raciais. Percebam no tom de voz dela e nas coisas que ela fala, como ela tem ÓDIO contra os brancos. Ela foi completamente doutrinada pelas falácias marxistas de luta de classes, transferida para luta de raças e para luta de sexos.



Agora vejam logo abaixo, o video de NEGROS INTELIGENTES E QUE SÃO CONTRA AS COTAS RACIAIS:




Essas questões dos movimentos negros são totalmente equivocadas. O raciocinio deles é que como houve escravidão negra há trocentos anos atrás, hoje em dia, os negros teriam direito de se vingar dos tataranetos dos brancos escravizadores. Esse raciocinio é imoral; mas, mesmo que ele fosse verdadeiro, ainda assim, não é isso que acontece, porque 99% dos brancos de hoje no Brasil, são descendentes de imigrantes brancos pobres que vieram da Europa no século XIX e XX para trabalhar na ROÇA e que nunca tiveram nada a ver com a escravidão negra. Seria imoral querer punir os descendentes de senhores de escravos, por supostos "crimes" que seus tatatatataravos cometeram. Mas mais imoral ainda é querer punir descendentes de brancos POBRES que NUNCA TIVERAM NADA A VER COM A ESCRAVIDÃO.
Portanto, mesmo que a lógica da vingança do movimento negro estivesse correta, mesmo assim, eles estariam se vingando das pessoas erradas. Mas esse é o padrão desses movimentos psicopatas. Por um acaso não é a mesmíssima coisa que as feministas fazem com os homens? Elas fazem mil e uma putarias e depois que as consequencias nefastas chegam para elas, elas querem jogar a culpa toda nas costas dos homens.
A grande verdade do Brasil é: Primeiro, nós não temos racismo no Brasil. Segundo, os nossos problemas são de origem ECONÔMICA e não Racial. Portanto, querer solucionar um problema ECONÔMICO, usando critérios RACIAIS não vai funcionar NUNCA, porque não vai resolver problema nenhum; mas vai apenas roubar uma coisa que seria de uma pessoa mais competente, para dar para outra pessoa não tão competente, mas que teve a sorte de ser agraciada com uma loteria de cotas raciais.
Ora, se só existem 500 vagas nas Universidades, e existem 2000 pessoas querendo entrar, como é que alguém pode cogitar que a melhor forma de se escolher a pessoa que vai cursar a universidade seria olhando para a cor da pele da dela? E não avaliando os seus conhecimentos e inteligência? Haveria racismo se os negros, mesmo passando no vestibular, não pudessem frequentar a Universidade, só porque são negros. Mas isso não existe no Brasil. Se um negro passar num vestibular ou num concurso publico, ele terá o direito líquido e certo à vaga. Nos EUA dos anos 50 sim havia racismo e havia a necessidade das cotas raciais, porque lá, naquela época, mesmo que um negro passasse no vestibular, e mesmo que um negro tivesse o dinheiro para pagar as mensalidades, ainda assim ele não poderia cursar a Universidade, só porque ele era negro. Aquilo lá sim era racismo e quando as cotas raciais foram criadas nos EUA, era para contrabalançar aquele tipo de racismo que havia lá. Mas, os movimentos negros e nazi-feministas pegaram aquela idéia, desvirtuaram a coisa e venderam as cotas raciais totalmente desvirtuadas, alegando "corrigir injustiças históricas".
O Brasil virou um país de golpistas e vigaristas. Todo brasileiro se tornou um golpista que tenta passar a perna em outra pessoa para se dar bem. Desde as Maria Chuteiras que seduzem algum jogador de futebol, para engravidar do cara e depois ferrá-lo nas pensões alimenticias (vide Luciana Gimenez), até os indígenas que tentam aplicar o golpe das terras indigenas para roubar fazendas de fazendeiros produtivos, passando por negros desonestos que usam essas putarias de cotas raciais para se dar bem na vida, às custas de roubar uma vaga que seria de alguém mais competentes. (talvez até outro negro mais competente). É a isso que o povo brasileiro se reduziu: uma nação de abutres, de vigaristas que ficam 24 horas por dia pensando em como aplicar um golpe e passar a perna no seu semelhante. Vejam abaixo a explicação fenomenal que o professor negro Thomas Sowell dá para a feminista cotista que defende cotas raciais. A feminazi ficou com cara de boba e ainda tentou cacarejar alguma coisa em defesa da posição insustentável dela; mas Thomas Sowell acabou com as teses dela.


Nenhum comentário :

Postar um comentário

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...