Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

As mulheres estão desesperadas

O texto abaixo foi retirado da página do facebook do Semeador da Real:


ELAS ESTÃO DESESPERADAS

Um pouco desesperada, hm?
Estava saindo com uma carreirista certa vez que ficou doida quando eu falei que não estava interessado em nada sério com ela, mas ela continuou me importunando com isso querendo saber os motivos do meu desinteresse.
Frustrada com a situação, ela me diz, “Você quer que eu termine sozinha com um gato?” “Ah meu deus, você quer!”
Eu ri até não aguentar mais.
Esta não foi a primeira vez que eu ouvi uma mulher fazer uma correlação entre ser solteira e ter gatos, mas foi extremamente engraçado assisti-la dizer isto acompanhado de sua expressão facial.
Elas já estão percebendo que este cenário tenebroso pode vir a atingí-las e já os associam com os gatos.
Voltando a esta mulher, ela é uma doida certificada e tem até um atestado provando isto, mas de novo, é algo normal para a mulher moderna ser confusa, desanimada, emocionalmente perturbada, mentalmente instável, etc, tudo o que uma indústria farmacêutica pode adorar. (NT: como sempre gosto de falar, comecem a pesquisar sobre as ações de empresas farmacêuticas que produzem antidepressivos e afins. É lucro quase garantido!)
Enquanto ria de forma incontrolável, frustrada ela me dizia “Do que está rindo?” e acrescentou “Isto não é engraçado!” e mais ainda “Você não entende que eu quero ter uma família e filhos?”
Tal conversa estava indo do ridículo ao absurdo, e não estava afim de continuar com isso, então eu respondi a ela com uma das minhas respostas padrão: “Isso é legal, você é uma mulher bonita, eu sei algum homem irá te achar interessante e irá querer formar uma família com você.”
Deixando claro a minha rejeição, ela então dispara que sou “mesquinho” e que morreria sozinho, ao qual respondi “Bacana.”
Se eu ganhasse uma moeda a cada vez que eu ouvisse uma mulher que eu rejeitei me dizer que eu sou mesquinho e que morrerei sozinho, eu já estaria com 1 milhão em mãos agora.
A conversa finalmente terminou de forma absurda, com ela ainda querendo que eu reconsiderasse a decisão de sair com ela quando eu amadurecesse… ah sim, como poderia ter esquecido de usar tal tática de intimidação… é como se eu estivesse usando alguma roupa colada verde e voando pela Terra do Nunca com alguma fadinha gostosa semi nua me acompanhando.
Mesmo que ela ainda consiga encontrar algum otário para a sustentar, isto é algo que fica cada dia mais questionável ao saber que cada vez mais o homem está descobrindo a enganação que são os relacionamentos, o casamento e o divórcio, mas tenha certeza, ela é que não vai me explorar… e a Terra do Nunca não me parece ser tão má assim. Agora só tenho que descobrir como faço para voar…
Mulheres fortes e independentes… aparentemente, é claro
Presenciei outra carreirista desmoronando outra vez, mas pelo menos ela sabia a causa disto, e eu transcrevo aqui seu pequeno monólogo para mim:
“Eu odeio o feminismo, eu odeio nossa sociedade… olhe para nossa sociedade… os homens não sabem mais ser homens e as mulheres não sabem ser mulheres, todo mundo se odeia… tá tudo bagunçado. Tenho 35 anos, eu odeio meu emprego, eu odeio meus colegas de trabalho, eu não tenho namorado, sem filhos… irei morrer velha e sozinha.”
Depois deste monólogo, ela começou a chorar… por bastante tempo… como uma garotinha – temos aqui ela chorando perante mim – manifestando os mais de 40 anos de feminismo? Ou igualdade? Ou força? Ou independência?
Sua derrota é total… posta em xeque pela realidade de sua situação.
Ainda, não é só ela, mas eu suponho que muitas outras devem pensar algo semelhante – está escancarado para quem quiser ver – gatos, solidão e a amargura… não necessariamente nesta ordem é claro. Isto pode piorar… se proteja.
Também, temos aquelas se aproximando dos 30, elas também vêem esta situação, mas de forma interessante elas estão se dobrando à pressão da greve de casamento – que se espalha e cresce a cada dia que passa.
Por exemplo, tem outra conhecida minha, perto dos 30, que nem cogita mais se casar porque ela já sabe que os homens não estão caindo mais nessa. Ela está desesperada para arrumar um homem que pelo menos a considere sua namorada, e a possibilidade de talvez ter filhos. O mais interessante de tudo é que esta mulher é muito atraente e não é aquela tradicional vaca gorda reclamona das quais já nos habituamos ver. Parece que o estoque de otários está chegando ao fim. A verdade é que a mulher – de todos os tipos – está começando a notar que o casamento está natimorto, é algo interessante que ando notando.
Ainda temos uma 3ª conhecida minha, com qual eu saio regularmente – que também percebeu que o casamento já é uma expectativa muito alta – de uma lado ela me incomoda as vezes porque eu quero ter uma vida produtiva perseguindo os meus objetivos pessoais e ela quer que a experiência masculina (eu) se una com o temperamento feminino (ela), mas eu quero ficar só com a experiência masculina e ignorar o resto – mas por outro lado ela é uma cozinheira muito boa e transa muito bem. Na verdade, estas duas coisas era o que ensinavam as mulheres para fazê-las manter um homem feliz – estômago cheio e saco vazio… aparentemente isto fazia ambos felizes no passado… obviamente, algo que o feminismo e sua alegada luta pela igualdade entre os sexos fez questão de matar.

Outro desabamento

Outra carreirista desabou na minha frente outro dia enquanto eu ficava girando na minha grande cadeira executiva contemplando a dominação mundial e desejoso de comprar a Wall Street pelo preço de um conhaque barato.
Ela estava muito nervosa e cheia de raiva do mundo e de alguma forma resolveu direcionar sua frustração em mim, o que me fez informar de pronto o chefe dela falando para jamais tirar o olho dela de novo porque não é minha responsabilidade cuidar da vidinha miserável dela.
A máscara já caiu pelo que estou vendo. Tais mulheres nem conseguem mais fingir a felicidade ou a tranquilidade mais em nome do decoro público – e o pior – elas tentam roubar a sua real felicidade e tranquilidade! Todo mundo tem que ser miserável que nem ela, e elas odeiam aqueles que não são. Tudo isto é uma questão de ódio a si mesmo que elas querem projetar nos demais.
Eu acho que isto se explica porque nossos engenheiros sociais do Ocidente tentaram transformá-las em homens e botá-los contra eles numa manobra de poder para aumentar a dependência delas ao Estado, e tal experimento deu terrivelmente errado, com tais mulheres sendo a prova viva disto.
É claro, ainda impuseram que o homem deveria agir mais como a mulher, o que só fez aumentar a confusão. O homem moderno foi feito para ser efeminado e dócil, o que só coloca mais uma pedra no sapato da mulher moderna que é mais masculina que eles.
O Homem de Verdade (TM), pela definição da mulher moderna, é o cavalheiro – ou seja, o cara que se dobra aos pontos de vista femininos e suas reclamações – é uma invenção de sua imaginação, um sonho de proporções mitológicas que deveria ficar confinado apenas aos seus livros de romance que elas fantasiam durante seu expediente no escritório.
Então com tal a sinfonia da confusão descrita acima, nós achamos a raiz do problema da raiva que a mulher moderna tanto sente.
E os homens, tão confusos quanto elas, aceitam tal figura cavalheiresca como definição de Homem de Verdade (TM) – já que o homem costuma pensa que a mulher é o nosso norte moral – “Se a mulher disse assim, deve ser isto mesmo.” Assim, nós vemos tais homens num esforço masoquista de receber toda essa raiva da mulher moderna para si mesmos… e eles são bem vindos para aproveitar este furacão de caos de tais mulheres – enquanto eu e tantos outros simplesmente assistem numa boa esse desabamento… de preferência num lugar desconhecido e bem longe para evitar alguma contaminação.
Por outro lado, todo mundo tem uma escolha – homem e mulher, aonde eles decidem se querem seguir as “recomendações” destes engenheiros sociais ou não. O sistema só pode existir enquanto tiver gente que acredita nele.
As escolhas ditam o futuro, e as escolhas do passado ditam o presente. Assim, é aí que a mulher moderna se encontra, uma síntese de péssimas escolhas que não podem ser responsabilizadas por nada ou ninguém além dela – como elas sempre tentam fazer.
Ela irá gritar clamando que “não tem mais homem no mercado” ou irá exigir “compromisso” e “responsabilidade” de todos os homens, mas eles não estão nem aí mais, eles foram embora, pularam fora desta canoa furada e estão mais preocupados com coisas melhores que os beneficiem.
A única coisa sensata a fazer é deixar tais mulheres modernas desabarem, de forma definitiva, já que não há porque se envolver em algo de tal magnitude – algo que pode até destruí-lo no processo.
Obs (-Pragmático).: Talvez o "fator tempo" seja a melhor e mais sagrada arma que temos a favor do gênero masculino, quando bem usado pode compensar as noites de solidão, os dias de humilhação e os momentos de invisibilidade social. O Tempo bem aproveitado provavelmente não o transformará no melhor homem, no mais rico e nem no mais bonito ( embora seja essa uma possibilidade ), no entanto, ele saberá compensar aqueles que fizeram bom uso dele.
Não premie mulheres rodadas. Não financie o sistema!
Premie as poucas rodadas ou as virgens que ainda tiverem caráter.
Siga seu próprio caminho e deixe que os mortos enterrem seus mortos.

Escrito por Mirror the Soul. Via: Buffalo Channel
A Arte nossa.

Meus comentários: As mulheres começaram uma guerra contra um inimigo formidável: os homens. Nós homens temos milhares de anos de experiência na arte da guerra. Nós gostamos de brigar. Mas sabem qual é a característica masculina que me dá a certeza de que nós homens vamos vencer no final? É a inigualável capacidade e disposição masculina para o auto-sacrificio, para aceitar a dor e o sofrimento, que MULHER NENHUMA TÊM. As feministas tem horror do sofrimento, elas odeiam o sofrimento; mas nós homens AMAMOS o sofrimento. Nós pegamos o sofrimento e o transformamos na coisa mais desejável do mundo: a vida, a obra e a doutrina de Deus Nosso Senhor Jesus Cristo. Abracem sua Cruz, ensinou Jesus. O que ele queria dizer com isso? Abracem o seu sofrimento. A solução para a vida não é fugir da Cruz, não é fugir do sofrimento; mas sim saber sofrê-lo. E nós homens sabemos sofrer. Arnold Schwarzenegger criou a frase: "No pain, no gain" - "Sem dor, sem ganho". Ou seja, mesmo quando um homem rejeita a resposta sobrenatural do Cristianismo para o sofrimento humano; mesmo assim, o homem cria uma resposta puramente humana, racional e pragmática para justificar e aceitar a dor. Nós homens gostamos de sentir prazer de vez em quando e não somos contra um orgasmo ou outro durante a vida. Mas nós não amamos o prazer, como as mulheres amam. Nós homens amamos o SOFRIMENTO. É por isso que nossos músculos são mais fortes do que os das mulheres. É por isso que o nosso intelecto é superior o das mulheres. E é por isso que os homens são moralmente superiores às mulheres. E é por isso que a Igreja Católica exige que o Papa seja um HOMEM. Só um HOMEM entende, aceita e abraça com amor o caminho da Cruz de Cristo: o caminho do SOFRIMENTO.
Mas não o sofrimento que nos é imposto por pessoas cruéis e injustas. O sofrimento que nós homens veneramos é aquele que NÓS MESMOS IMPOMOS A NÓS. É a dor que nós buscamos, que nós suportamos, que nós nos dispomos a suportar, para tudo superar. É essa dor que nos fortalece. O sofrimento das humilhações feministas sobre os homens não nos fazem bem algum; exceto, talvez, nos fazer sentir o ódio, que dá a energia para a reação. Cada ataque feminista contra nós é um estímulo para o nosso ódio contra o feminismo. A cada insulto feminista contra nós, a nossa raiva contra a injustiça cresce. E sob esse aspecto, a dor é boa. O sofrimento que as feministas nos impuseram, nos dará a força e o ódio necessário para nos levantarmos, reagirmos e varrermos com o feminismo da face da Terra. Quanto mais elas nos humilham e tentam nos subjugar, maior será a força da reação contrária que lançaremos contra elas. O filósofo alemão Hegel já nos ensinava: contra toda Tese, sempre haverá de surgir uma Antítese.
Não vai ser buscando o prazer que nós vamos derrotar o feminismo. Nós precisamos buscar a dor, o sofrimento, o combate, a luta, o confronto, a guerra. Nós temos que abraçar a dor e o sofrimento da solidão que as feministas nos impuseram e então, nós nos levantaremos e as faremos sofrer uma solidão mil vezes maior do que a nossa. E elas se dobrarão e se ajoelharão diante de nós, porque as mulheres não aguentam a dor. Elas fazem qualquer coisa para fugir do sofrimento. Nós faremos o feitiço virar contra as feiticeiras.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...