Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

domingo, 21 de julho de 2013

Revista Época critica homens que odeiam as feministas

Hoje eu li um editorial da Revista Época no qual o editor da revista escreve uma ode ao feminismo e critica os homens que criticam o feminismo. De acordo com a pseudo-lógica mangina daquele sujeito, os homens não têm direito nenhum de criticar o feminismo, porque o feminismo é perfeito em si mesmo, afinal, o feminismo foi extraído do cérebro das criaturas mais santas, celestiais, puras, perfeitas e absolutamente infalíveis: as mulheres. Além da repetição dos velhos slogans feministas tais como: combater o patriarcado, mulheres oprimidas, sociedade machista etc, etc o texto daquele cara é um exemplo do grau a que chega a lavagem cerebral feminista na sociedade. Ele é um homem, que acha que o feminismo é infalivel e não merece receber a menor crítica.
É tão óbvia a semelhança do FeminISMO com o ComunISMO, com o SocialISMO, com o NazISMO  e com o FascISMO, que às vezes eu fico de queixo caído por ter sido o primeiro homem do ocidente a ver a semelhança entre o FeminISMO e todas as outras ideologias de fanatISMO, que terminam como sufixo ISMO. Se houve algum outro escritor ou pensador que percebeu a semelhança entre os "ISMOS" e que tenha colocado a coisa da forma que eu coloco, eu desconheço. Mas para fazer justiça eu preciso reconhecer que o pesquisador norte americano Eric Hoffer, em seu livro dos anos 50: Fanatismo e movimentos de massa, já havia desmascarado totalmente esses movimentos de fanatismo e exposto a mentira intrínseca a todos eles.
Mas voltemos ao homem que endeusa as mulheres. Para esse tipo de homem, as mulheres são tão lindas, tão gostosas e sensuais, que ele as considera intrinsecamente superiores a ele próprio. Os trovadores, poetas, escritores românticos pertencem a essa estirpe detestável do gênero masculino: os otários, sempre cornos mansos, que endeusam as mulheres e acham que tudo o que sai do corpo feminino é puro e santificado. Basta tocar no corpo da mulher para qualquer coisa, por mais repugnante que seja, adquira a característica sagrada da pureza angelical e perfeita da mulher. As opiniões das mulheres, mesmo quando são totalmente insanas e incoerentes, são elevadas à categoria de doutrina sagrada inquestionável. A mulher pode matar o próprio bebê e jogá-lo no vaso sanitário, que o mangina a defende mesmo assim e diz que ela estava em "estado puerperal", ela é uma vítima!! A mulher pode matar e esquartejar o marido, como a mulher do caso Yoki fez com o marido; mas o mangina a defende, porque o marido dela era um canalha e tinha uma amante e, portanto, merecia morrer. A mulher pode até cuspir no rosto do mangina e dar um chute no saco dele, que ele continua defendendo a mulher e se ajoelha grato a ela por ela ter tido a grande condescendência de tocar nas bolas dele. Mesmo que tenha sido para dar um chute. Em resumo, aquela música da cantora Kelly Key resume com perfeição a atitude do mangina submisso à mulher. Ele se comporta, e age como se fosse o cachorrinho da mulher, a obedece em tudo, concorda com tudo o que a mulher fala, diz ou opina. Até a Kelly Key já está farta desses manginas babacas que endeusam uma mulher e fez uma música para esfregar na cara desses homens otários o quão submissos eles são; mas os vermes rastejantes nem ouvem a letra da música, só ficam embasbacados com a beleza do corpo escultural da Kelly Key.
Por fim, outro erro do artigo do puxa-saco feminista é dizer que os homens odeiam as feministas. Olha, por mais repugnante que nos pareça uma mulher pelada no meio da rua, com um megafone gritando impropérios contra o patriarcado que sempre a protegeu, eu tenho que esclarecer uma coisa para aquele baba ovo feminista: Eu não odeio as mulheres e nem odeio as feministas. Eu odeio o Feminismo. Até para as feministas eu estou disposto a dispensar a minha melhor amizade, consideração e amor, se elas deixarem de serem feministas. Mas isso não é exigir demais de minha parte? Ora, alguém aqui acha que um judeu deveria ter amizade, respeito ou consideração por um alemão nazista? Por alguém que o odeia só porque ele é o que é? Todo judeu tem o direito e o dever de odiar os alemães nazistas. Mas o judeu deve ter o bom senso de perdoar o alemão que deixa de ser nazista. A mesma analogia eu faço com o feminismo. Se uma mulher é feminista, eu não a odeio; mas considero-a minha inimiga. Mas, se ela se convencer do quão errado é o feminismo e deixar de ser feminista, então eu vou dedicar a ela a minha melhor amizade e carinho.
Já postei por esses dias o video da música do cachorrinho da Kelly Key, mas, como eu voltei a esse assunto aqui, acho apropriado postar mais uma vez. Vejam abaixo como as mulheres estão tratando os homens:


Nenhum comentário :

Postar um comentário

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...