Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

sábado, 27 de julho de 2013

Como as bruxas feministas manipulam o significado das palavras

Uma das trapaças mais comuns usadas pelo feminismo e pelas mulheres é redefinir o significado de palavras, invertendo seus valores e suas cargas negativas e positivas. O recente golpe feminista de redefinir a palavra "Vadia", através das Marchas das Vadias, para significar algo positivo e desejável é apenas mais um, de uma série de processos de perversões linguisticas e inversão de valores que as mulheres estão impondo à sociedade há décadas.
Uma das primeiras palavras que elas manipularam foi a palavra "machismo" e fizeram com que ela tivesse uma conotação negativa, quase o sinônimo de um palavrão, sendo usada apenas quando se quer ofender algum homem desafeto. Sociedade Patriarcal, saúde reprodutiva, questões de Gênero, vadias, dentre muitas outras, são palavras que as feministas usam, redefinindo seus significados, para tentar, dessa forma, anular qualquer oposição ao feminismo. Outra palavra que elas inventaram para destruir a oposição ao feminismo, é a palavra femismo, que elas dizem significar o movimento supremacista feminino e elas dizem para não confundir com o "feminismo", que é o movimento "bom" e justo segundo elas. No entanto, não existe a palavra "femismo" nos dicionários. Essa é só mais uma palavra que elas inventaram para manipular as pessoas. Outra palavra que elas usam é "Mascus" em um tom pejorativo, para se referir aos masculinistas, afinal, qualquer um que se oponha ao feminismo é um bosta, segundo as feministas, e merece ser xingado. Mas muitas vezes, as feministas não inventam uma palavra nova; mas elas pegam uma palavra que já existe e começam a usá-la com outro significado, para tentar forçar as pessoas a aceitar o novo ponto de vista. Assim, elas transformaram a palavra Patriarcal, machista, homem branco, em sinônimos de palavrão. E, em contrapartida, elas transformaram as palavras bruxa, vadia em sinônimo de elogio.
Recentemente, nós podemos nos lembrar da famosa escritora britânica J.K. Rowling, que redefiniu o significado de bruxaria, bruxos e bruxas, fazendo a sociedade acreditar que ser uma bruxa é algo positivo, bom e desejável. 
Vejam as imagens abaixo, sobre como era a imagem das bruxas ANTES da manipulação feminista da palavra:




Então o movimento feminista promoveu os livros de Harry Potter e a escritora J.K Rowling e conseguiu redefinir a imagem que a sociedade tinha das bruxas. Agora, quando as pessoas pensam em uma bruxa, a imagem que vêm à cabeça delas são as imagens abaixo:






 






Qual é a consequência dessas redefinições de significados das palavras? São muito profundas. Primeiro, que fazendo isso, as feministas pegaram o touro pelos chifres e conseguiram sufocar quaisquer questionamentos ao feminismo, antes mesmo deles terem sido elaborados, pois elas constantemente mudavam de forma e confundiam as pessoas, ora dizendo que o feminismo radical não era feminismo; mas femismo, ora rotulando os incipientes questionamentos como preconceito "machista", intimidando os homens de questionar os pressupostos feministas. E mesmo quando algum homem corajoso conseguia romper as barreiras, censuras e perseguições feministas e conseguia fazer alguma pequena critica ao feminismo, então as feministas adotavam o plano de contingência de redefinir o significado da palavra. Foi isso que o feminismo fez com a Marcha das Vadias. Um policial do Canadá, que já estava de saco cheio das ladainhas feministas, declarou que se as mulheres não quisessem ser estupradas, elas deveriam parar de se vestir como vadias. Foi só isso que ele disse, mas o movimento feminista jamais iria deixar uma critica passar sem punição, e então as feministas de todo o mundo organizaram várias "Marchas das Vadias" onde elas tentaram redefinir o significado da palavra Vadias, pois, se vadias fosse um elogio, elas poderiam pegar a declaração do policial canadense e transformá-la em um elogio ao feminismo. Percebem aqui a ditadura feminazi em ação? Vivemos um totalitarismo feminista que não admite a menor critica ao feminismo. Os homens não tem direito de criticar o feminismo. Os homens precisam abaixar a cabeça, se ajoelhar diante das mulheres e deixar elas cortarem fora nossas bolas, deixar elas nos cornearem, nos humilharem, nos roubarem, nos transformarem em gays e travestis e depois elas ainda querem que façamos operação para mudança de sexo, cortando fora os nossos pênis, nos transformando todos em gays ou em travestis. Em resumo, é isso que o movimento feminista defende. Quer dizer, o feminismo "moderado", porque o feminismo "radical", das seguidoras do Manifesto Scum da Valerie Solanas, pregam o extermínio de todos os homens da face da Terra. Ódio de gênero puro e do mais baixo nivel. Isso é que é o feminismo.

Um comentário :

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...