Novo endereço do nosso site

Novo endereço do nosso site
Feminismo Diabolico

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Masculinistas lutam por achar que feminismo foi longe demais

Masculinistas lutam por achar que feminismo foi longe demais
24/04/2014 | 08h35min



Pouca atenção à violência doméstica praticada contra homens, menos chance de obter a guarda dos filhos, difusão de uma imagem bastante negativa deles pela mídia. Essas são algumas das causas pelas quais batalham os chamados movimentos masculinistas (ou movimento dos homens). Esses grupos começaram a ganhar corpo em alguns países da Europa no final década de 1970, mas há registros de manifestos do gênero no final do século 19.
"O masculinismo surgiu como uma resposta à crescente influência do feminismo", explica a socióloga Viviene Cree, da Universidade de Edimburgo, na Escócia. Segundo ela, em seus primeiros anos, esse tipo de ativismo chegou a simpatizar com a ideia de que as estruturas patriarcais haviam oprimido as mulheres ao longo dos séculos. "Mas, além disso, queria explorar como essas estruturas também eram capazes de impactar a vida dos homens", complementa Cree.
A partir de 1990, um novo masculinismo emergiu: dessa vez, antagonista às mulheres. "Hoje, as duas versões existem", diz a professora, cuja pesquisa se centra em temas como gênero no serviço social. Há tanto homens que lutam ao lado de mulheres contra o sexismo e a violência doméstica quanto aqueles afirmando que o feminismo foi longe demais e que agora a ala masculina está em desvantagem.
Fundador da International Association of Masculinists (Associação Internacional dos Masculinistas, em tradução do inglês), o designer americano Aoirthoir An Broc se encaixa no segundo grupo.
"Os homens concentram só 35% da riqueza do mundo, obtêm custódia das crianças em apenas 7% dos casos, representam 96% da população carcerária e são mais penalizados na escola quando tiram notas baixas", contabiliza Broc, que garimpa essas estatísticas de lugares variados, como o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, o FBI, que é polícia federal estadunidense, e de sites de ativistas de direitos dos homens, como o A Voice for Men.
"Além disso, 98% das mortes em guerra são masculinas e 80% das vítimas de estupro também, considerando-se os que ocorrem em prisões e durante conflitos armados. As taxas de suicídio entre homens são maiores do que as entre mulheres. Eles pagam pensão para filhos que nem ao menos são deles e coisas muito piores".
Broc emite opiniões de deixar qualquer um de cabelos em pé. "Só por meio do masculinismo, o ginocentrismo vai acabar", diz o designer. De acordo com o Urban Dictionary, ginocentrismo seria um sistema no qual as percepções, desejos e necessidades femininos têm primazia.
"O mal, o pecado, a guerra, a violência, o estupro, o roubo e a corrupção têm origem no ginocentrismo. Ao difundir o masculinismo e a misoginia, os homens percebem que são todos irmãos. As mulheres já demonstraram que não são de confiança", diz ele.
O movimento masculinista também já chegou ao Brasil. Proliferam na internet blogs, fóruns e páginas em redes sociais dedicadas ao tema. No Facebook, um dos destaques é a fanpage "Masculinismo Brasil – Por um Brasil Mais Justo com os Direitos dos Homens". A reportagem do UOL
tentou entrar em contato com os administradores da página, mas não obteve retorno.
Outra figura admirada pelos masculinistas brasileiros é a do escritor Nessahan Alita, pseudônimo do autor de "Como Lidar com As Mulheres", livro no qual ele descreve as estratégias delas para ludibriar os homens no campo amoroso. A obra não está à venda em nenhuma livraria, mas pode ser baixada gratuitamente na internet.
Alita é uma lenda entre seus seguidores, que mantêm páginas nas redes sociais dedicadas a ele e suas frases, como "As mulheres continuarão sem notar sua presença, irão ignorá-lo e não sairão da inércia a menos que você ostente um símbolo visível de poder que demonstre superioridade social em relação aos machos rivais". Ninguém sabe seu nome verdadeiro.
O britânico Tom Martin é outro proeminente defensor dos direitos masculinos. Ele ganhou notoriedade ao processar o Departamento de Estudos de Gênero da London School of Economics em 2012 por sua recusa inflexível em incorporar a discussão sobre questões relativas à igualdade dos homens ao seu currículo. Para Martin, masculinismo é uma palavra associada mais com antifeminismo ou visões tradicionais.
"Os ativistas que lutam pelos direitos dos homens não se autodenominam masculinistas. Alguns se declaram antifeministas porque não acreditam na seriedade do feminismo em erradicar as desigualdades que os homens encaram", diz Martin.
Segundo Martin, os ativistas sérios que lutam pelos direitos masculinos advogam por paridades que os homens nunca tiveram, como acesso igual a seus filhos depois do divórcio; testes de paternidade compulsórios para cada recém-nascido; licença-paternidade maior e com remuneração mais alta; vagas para homens em abrigos para quem sofreu violência doméstica; discussões sobre questões relativas aos homens nos currículos universitários; tratamento igualitário no sistema judiciário, nos partidos políticos e na mídia.
"Pesquisas mostram que a mídia factual se refere aos homens negativamente em 69% das vezes, apresentando-os como bobos, bandidos, traidores, pedófilos, estupradores e assassinos, e positivamente em apenas 12%", afirma ele.
Martin elenca outros percalços que, segundo ele, passam os homens: a circuncisão nos bebês do sexo masculino; a quase inexistência de homens como professores em escolas e creches, o que deixa os meninos sem um modelo, prejudicando sua educação; 95% das mortes no local de trabalho são masculinas; nos namoros e casamentos, apesar de as mulheres jovens lá ganharem mais, são eles que arcam com as despesas; e se uma mulher decide ser violenta com um homem e ele chama a polícia provavelmente vai acabar preso.
"Nos comerciais, séries de humor e enredos de novelas é ainda pior: estupro e violência contra homens são frequentemente retratados como uma piada justificável", diz ele. O feminismo, continua o britânico, começou um processo, mas as feministas profissionais acham difícil concluir seu trabalho e incluir por completo as questões e políticas masculinas.
"Elas são brilhantes ao dizerem: 'onde estão as mulheres nas diretorias e nas casas do parlamento'. Mas elas odeiam olhar para baixo e perguntar: 'onde estão as mulheres nas trincheiras, nas minas?", questiona. Assim, de acordo com ele, para um desenvolvimento humano pacífico, é importante acabar com a segregação sexual e alcançar um equilíbrio de gênero em cada esfera.
"Os governos deveriam reduzir impostos para mulheres e homens que trabalham em áreas onde seu gênero é pouco representado e também dar incentivo a empregadores que chegam a um maior balanceamento entre os sexos", afirma Martin.
Autor do livro The Second Sexism : Discrimination Against Men and Boys (O Segundo Sexismo: Discriminação contra Homens e Garotos), David Benatar, professor de filosofia da Universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul, diz que há vários motivos para o fato de a discriminação contra homens não estar na agenda do dia.
"Uma razão importante é que enquanto somos infindavelmente lembrados da discriminação contra mulheres, não há quase nenhuma menção à discriminação contra homens. Isso cria um conhecimento recebido, e o ser humano geralmente não é muito bom em questionar uma conhecimento recebido", diz Benatar. Sem contar que eles despertam menos simpatia do que elas. "As pessoas não se importam quando os homens são, por exemplo, vítimas de violência".
"Homens que lutam pela guarda dos filhos ou contra a violência doméstica praticada contra eles muitas vezes sentem que suas causas não são levadas a sério, enquanto o que ocorre com as mulheres é o contrário", explica a socióloga Viviene Cree. "Isso acontece porque eles sempre tiveram direitos, seja de voto, propriedade ou conjugais, diferentemente delas".

Fonte: http://www.paraiba.com.br/2014/04/24/05005-masculinistas-lutam-por-achar-que-feminismo-foi-longe-demais

Meus comentários: O surgimento do Masculinismo era inevitável, diante da radicalização do feminismo. Uma sociedade onde não hajam duas idéias opostas e antagônicas lutando entre si se torna uma sociedade estagnada e sem evolução. Durante décadas o Feminismo reinou absoluto, sem contestação alguma e é por isso que a nossa sociedade se degenerou tanto. Era necessário e urgente que surgisse uma antítese ao feminismo, através do Masculinismo. O grande filósofo alemão Hegel já dizia que a única forma das sociedades mudarem era através da luta entre duas idéias opostas e antagônicas entre si: a Tese contra a Antítese. A Tese na nossa sociedade atual é o Feminismo. Logo, a Antítese deverá ser o Masculinismo, que agora está tomando forma e força e em breve poderá golpear o feminismo. Da luta das duas idéias opostas: Tese X Antítese, surgirá uma nova Síntese, que é o nosso objetivo final.
Se o momento de acabar com o feminismo não for AGORA, então nos digam: QUANDO será o momento de acabar com o feminismo? Se não fora agora, então QUANDO o Feminismo deverá acabar?

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Feminista Lola arregimenta pelotão Feminazi para me linchar



Ontem a Lolazilla publicou um post me criticando e me demonizando. Como sempre, ela nem tentou refutar os meus argumentos, ela dedica o post inteiro a "provar" que eu sou louco, doente mental e que, por ser maluco, minhas idéias contra o feminismo não valeriam nada. Mas o pior não foi o post da Lola; mas sim os comentários das feminazis psicopatas que a lêem. Aquelas vagabundas, que participam de marcha das vadias, não me conhecem, nunca viram o meu site; mas elas todas acreditaram nas mentiras da Lola e estão todas elas defendendo lá que eu seja preso "antes que eu cometa algum crime". Ou seja, elas agora querem prender os homens "antes" que os homens cometam algum crime, porque eu disse que acho a Lola feia e acho que o feminismo não presta e, por isso, eu devo ser um tipo de pré-psicopata, um sujeito que está prestes a cometer algum crime, segundo elas e, só essa suposição delas, já seria o bastante para me prender num presídio ou num manicômio e "jogar a chave fora", como escreveu uma das seguidoras da Lola. Parece que elas acham que a Feminista Lola é um tipo de Pré-Cog, que nem naquele filme Minority Report, onde as pessoas são presas ANTES delas terem cometido os crimes, baseado apenas nas visões de três paranormais mutantes que prevêem o futuro e, nessas previsões, eles vêem a cara dos assassinos e mandam a policia prender os assassinos ANTES que eles tenham cometido algum crime. É essa loucura Stalinista que a Lola e as seguidoras et caterva sonham em implantar aqui. A Lola quer fazer a mesma coisa que o Stálin fazia: basta a menor suspeita que uma pessoa tenha algum pensamento contra a ditadura feminazi, esse mero pensamento já seria o bastante para colocar o sujeito num Gulag e "jogar a chave fora". A Lola deve ter poderes paranormais de prever o futuro e ela "sabe" quem vai cometer os crimes, e quer mandar para a cadeia os homens "antes" deles cometerem os crimes. Vejam com seus próprios olhos o nível das psicopatas que seguem a Lola:

Essa feminista aqui, do alto da profunda e completa análise da Lola a meu respeito, chegou à conclusão que eu devo ser internado num manicômico e que deveriam "jogar a chave fora". Essa vagabunda nem me conhece, nunca me viu, nunca leu o meu site e ela acha que pode dizer que eu devo ficar num manicômio só baseado no post da Lola. E depois, eu é que sou o "louco" nessa história!!!


Não se preocupe comigo minha cara FEMINAZI, que eu sou um cara que RESPEITA A LEI E A RELIGIÃO. Eu nunca faria nada que violasse qualquer lei. Quem viola a lei são as feministas; eu não. Eu sigo e obedeço a Lei, a moral e a Religião.
Agora, eu acho que quem realmente deveria estar atrás das grades é a Feminista Lola, porque ela é quem vive defendendo a violação da lei no site dela. Eu só defendo CUMPRIR A LEI e respeitar a MORAL E A RELIGIÃO. Agora a Lola, bem, a Lola defende isso:
Feminista Lola comete crime de apologia ao aborto no site dela
Todos sabemos que a Feminista Lola é a favor do aborto. Mas o aborto é considerado um crime no Brasil, de acordo com o Código Penal:
Art. 124 – Provocar Aborto em si mesma ou consentir que outrem lho provoque:
Pena – detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos.
Aborto Provocado por Terceiro
Art. 125 – Provocar Aborto, sem o consentimento da gestante:
Pena – reclusão, de 3 (três) a 10 (dez) anos.
Art. 126 – Provocar Aborto com o consentimento da gestante:
Pena – reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos.
Parágrafo único – Aplica-se a pena do artigo anterior, se a gestante não é maior de 14 (quatorze) anos, ou é alienada ou débil mental, ou se o consentimento é obtido mediante fraude, grave ameaça ou violência.
Ou seja, o aborto é um crime no Brasil, não importa o que as feministas queiram, o fato é que o aborto é um crime no Brasil. Mas olhem só que interessante: Defender publicamente a prática de um crime, também é um crime no Brasil. Vejam só o que diz o Código Penal sobre incitação ao crime:
Incitação ao Crime
Art. 286 – Incitar, publicamente, a prática de crime:
Pena – detenção, de 3 (três) a 6 (seis) meses, ou multa.
Apologia de Crime ou Criminoso
Art. 287 – Fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime:
Pena – detenção, de 3 (três) a 6 (seis) meses, ou multa.
Ou seja, quem incitar publicamente a prática de um crime, comete um tipo de crime também. Mas vejam só mais uma lei interessante: a Lei dos tóxicos, ou  LEI Nº 11.343, DE 23 DE AGOSTO DE 2006. Que institui a Politica Nacional antidrogas:



CAPÍTULO II
DOS CRIMES
Art. 33.  Importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar:
Pena – reclusão de 5 (cinco) a 15 (quinze) anos e pagamento de 500 (quinhentos) a 1.500 (mil e quinhentos) dias-multa.
§ 1o  Nas mesmas penas incorre quem:
I – importa, exporta, remete, produz, fabrica, adquire, vende, expõe à venda, oferece, fornece, tem em depósito, transporta, traz consigo ou guarda, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, matéria-prima, insumo ou produto químico destinado à preparação de drogas;
II – semeia, cultiva ou faz a colheita, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, de plantas que se constituam em matéria-prima para a preparação de drogas;
III – utiliza local ou bem de qualquer natureza de que tem a propriedade, posse, administração, guarda ou vigilância, ou consente que outrem dele se utilize, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, para o tráfico ilícito de drogas.
§ 2o  Induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido de droga:     (Vide ADI nº 4.274)
Pena – detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa de 100 (cem) a 300 (trezentos) dias-multa.  
Em outras palavras, instigar ou induzir alguém ao uso indevido de droga também é um crime, correto?
Nesse momento, eu peço aos leitores e aos agentes da Policia Federal e do Ministério Publico, que cliquem no seguinte link e leiam o post que segue: http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2013_07_01_archive.html
Hoje, a Feminista Lola também publicou outro post em que comete o mesmo crime de apologia ao aborto, ao tráfico de drogas, ensinando para as leitoras os nomes dos medicamentos proibidos no Brasil para elas fazerem aborto: http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2014/03/guest-post-o-que-foi-sofrido-e-que.html
Apenas para tirar as dúvidas, segue logo abaixo dois prints que eu fiz da referida página:


C
Continuando a nossa análise, vejam só o que eu encontrei na Wikpédia sobre o medicamento XXXX que a Feminista Lola recomenda que suas leitoras usem:
“O xxxxxx é a versão sintética da prostaglandina E1 (PGE1) usado no tratamento e prevenção de úlcera do estômago. Esta substância também é usada ilegalmente como abortivo. 3 Também é usado na medicina veterinária para proteção estomacal de animais.4
Princípio ativo do XXXXX, foi introduzido no Brasil em 1984 através do laboratório Searle, sem qualquer restrição de compra nas farmácias até 1991, pois era aprovado para tratamento de úlceras gastrica e duodenal. Todavia, logo descobriu-se suas propriedades abortivas. Posteriormente o Ministério da Saúde limitou sua venda somente com retenção de prescrição médica.5 Sua comercialização é proibida no Brasil para o público geral, desde 1998.6 Atualmente os meios de mídia denunciam a venda clandestina do medicamento em algumas farmácias e drogarias e também pela Internet.7 A venda deste medicamento no Brasil é crime hediondo.8″
Talvez por isso a Feminista Lola esteja ensinando as suas leitoras a como comprar o XXXXX no exterior e depois trazê-lo para o Brasil usando os próprios correios para isso. Puxa vida, já imaginaram se o Fernandinho Beira Mar tivesse tido essa mesma idéia?
Mas vamos voltar à nossa análise. A feminista Lola recomenda que suas leitoras tomem um medicamento proibido no Brasil para provocar abortos, que também é um crime no Brasil. Isso não configuraria o crime de apologia ao crime?
Incitação ao Crime
Art. 286 – Incitar, publicamente, a prática de crime:
Pena – detenção, de 3 (três) a 6 (seis) meses, ou multa.
Apologia de Crime ou Criminoso
Art. 287 – Fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime:
Pena – detenção, de 3 (três) a 6 (seis) meses, ou multa.
Denunciem a Lola e o site dela para a Policia Federal e para o Ministério Publico Federal e para o Ministério Publico Estadual do Estado do Ceará, pelos crimes de apologia ao aborto e ao tráfico de drogas. É como eu havia dito antes no meu video: as feministas são incapazes de defender as idéias delas sem violar alguma lei.
- See more at: http://www.feminismodiabolico.org/2014/03/feminista-lola-comete-crime-de-apologia_28.html#sthash.WUqRb3Dx.dpuf

Mas esse não é o único crime que a Feminista Lola anda cometendo lá no site dela:



A Lola vai cortar a sua picaLidiane e LolaLola aprova Pagu funkLola misandrica
É, pra Lola a Lidiane dá o desenho do gatinho e para os homens ela diz que vai cortar fora o nosso pênis. E depois a Lola diz que não existe ódio contra os homens. A Lolita é ou não é a feminazi mais hipócrita e mentirosa do Universo? Nem o capeta em pessoa conseguiria ser tão hipócrita quanto a Lola.
Metafora pagu funk para extinguir o machismo
Mulher nunca erra segundo a Lola
A Lola presta total solidariedade e apoio para as discipulas dela, que fizeram o video criminoso de ódio contra os homens. Porque né, mulher nunca comete erros e nem crimes e tudo o que as mulheres fazem é puro, perfeito, santo e justo.
A Lola acha que esse video é importante para extinguir o machismo. Mas nesse ponto, eu discordo da Lolazilla. Eu acho que esse video é importante para RESSUSCITAR O MACHISMO na sociedade.
Segundo a Lola é a nossa imaginação maldosa de masculinista machista e Reaça que viu ódio e maldade em um video tão puro e cândido como esse. Além do mais, pra que a pica né galera, se toda mulher já virou feminista, a nossa pica não tem mais utilidade mesmo, né? Mas será que elas vão dar anestesia na gente, quando elas cortarem fora a nossa piroca? Ou vai ser como a Lola quer? Sem Anestesia.

Leiam o desabafo de uma mulher contra a Marcha das Vadias:

Porque EU sou contra a marcha das vadias

Primeiro eu gostaria de alertar que o artigo NÃO é recomendado para menores de 18 anos. Neste artigo, destacam-se: cenas fortes, atentado violento ao pudor, nudismo e palavras de baixo calão que ofendem e denigrem a fé cristã entre outras religiões, frases de ódio ditas pela marcha das vadias entre outras imagens e frases ofensivas. Recomendamos cautela.vadias3
Segundo: A matéria se trata de uma opinião pessoal. Como todos temos o direito a liberdade de expressão e opinião, venho por meio deste canal, colocar a minha visão sobre tal marcha que vem influenciando adolescentes e  jovens-adultas da classe média, média-média e média-alta por ter um caráter ilusório de liberdade sexual e luta pelos direitos das mulheres. Ressalto que, não há mais direitos a serem conquistados. O que queríamos, já é exercido desde 1950 (se não me engano). Todos os direitos como um todo… Estudar, trabalhar, divórcio… Ocupar cargos masculinos… Enfim… Esclareço que, o aborto não é um direito da mulher, quando o feto é concebido em uma relação sexual consentida, pois não se mata uma vida para “mascarar” um erro da mulher de não se proteger. O seu corpo é uma coisa… O feto dentro de você é outro corpo, por isso o aborto tem e deve ser considerado crime hediondo. Afinal, com tantos direitos conquistados, por que não usar um deles que é a proteção. Camisinha, pílulas anticoncepcionais e pílulas do dia seguinte são dadas até em posto de saúde. Portanto, não use a sua necessidade psicopata em matar um inocente indefeso com o argumento que o corpo é teu.
Terceiro: Da mesma forma que vocês exigem respeito por aquilo que vocês lutam e fazem, respeitem opiniões contrárias. Vocês não possuem a verdade absoluta e nem eu! Portanto, cada um com a sua convicção e opinião. Respeite para ser respeitado. TODOS TEMOS O DIREITO A OPINIÃO E LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
psico

A “Marcha das vadias” não passa de um movimento para as “mulheres” lutarem por promiscuidade, vem chocando e ofendendo pessoas. Enquanto o Papa pregava a fé, a tolerância, o respeito e o amor propriamente dito, estas “mulheres” destruíram a imagem de Nossa Senhora, simularam sexo com o crucifixo e hostilizaram os cristãos.
vadia
Mulher não é mercadoria, mas esta marcha propõe, em forma de dicotomia, exatamente isso. Que a mulher seja vista como uma mercadoria em que você possa fazer sexo, sumir no dia seguinte que elas dão conta do “recado”. Se engravidar, ela aborta, se for contaminada com AIDS, hoje mesmo ela contaminará alguém, afinal, o corpo é delas e elas o usam da forma que bem entendem, inclusive contaminando pessoas com doenças sexualmente transmissíveis. A senhora gostaria que seu filho se relacionasse com uma “mulher” dessa? Que esta mulher nua da imagem fosse sua nora? Ou que a sua filha seja amiga de uma “mulher” que se porta de forma vergonhosa, manchando a imagem da verdadeira mulher?
vadia1 vadia2
Elas denigrem e mancham a imagem das mulheres. Uma mulher como eu, como à senhora, como a sua esposa, filha, irmã, etc…, batalhadoras, guerreiras, trabalhadoras… Que acordamos cedo, cuidamos dos nossos filhos (e as casadas, de seus maridos), vamos trabalhar, estudar, ajudar no orçamento doméstico, mantemos uma postura diante da vida e da sociedade, sermos chamadas de “vadias” por um bando de “mulheres” ensandecidas que desvirtuaram completamente o movimento feminista?! Querem ser igualadas a estas “mulheres”?
escrota
Mulheres entre aspas, pois estas não são MULHERES. Mulher se dá ao respeito, tem postura, não faz manifestação NUA, expondo filhos e familiares e, muito menos admite em hipótese alguma ser chamada de “vadia”, mesmo sendo um trocadilho com o linguajar masculino usado referindo-se as mulheres que fazem sexo indiscriminado.Um movimento que impõem intolerância, inverdades como “aborto natural também pode virar crime” para convencer pessoas a serem a favor do aborto, onde estas mulheres se relacionam sem proteção e acham que o maior problema é a gravidez, sem se preocupar com a disseminação da AIDS entre outras doenças sexualmente transmissíveis.
Um movimento recheado de promiscuidade, inverdades, intolerância, ódio e atentando violento ao pudor.
vadias4
Esta imagem, por exemplo, um manifestante contra a igreja Católica, introduz uma cruz na cavidade anal. Sim senhores, é um homem, introduzindo em seu ânus, um crucifixo, por uma “mulher”.
vadias5
Esta faz menção a Virgem Maria, demonstrando total desprezo ao significado da Virgem Maria, mãe de Jesus Cristo.
Mulheres cheias de ódios e ensandecidas, cansadas de suas vidas vazias e fúteis. Frases como: “O seu fundamentalismo bate na minha xoxota gostosa e volta pra você”, “O útero é meu e faço quantos abortos eu quiser”, “a buceta é minha e eu dou pra quem eu quiser”, “Meu gozo é uma delicia”, “Eu adoro gozar gostoso”, “Eu toco uma siririca (masturbação feminina)“ entre outras frases de baixo calão, ofensivas e amorais.
vadias6
Isso não é uma manifestação digna e muito menos luta por um ideal concreto. Luta, pela única e exclusiva ideia de liberar o aborto. Apenas pelo direito de matar bebês quantas vezes assim o desejarem com O NOSSO DINHEIRO. Sim, elas querem que isso seja feito pela rede pública. Não passa a ideia e muito menos é cogitada a ideia do uso de métodos contraceptivos tais como: preservativo masculino, preservativo feminino, pílulas anticoncepcionais, DIU, injeção de hormônio, pílula do dia seguinte entre outras formas de prevenção. Elas apenas desejam o aborto e o sexo promíscuo e indiscriminado.
Elas não lutam pelo direito a um ensino melhor e muito menos por melhorias hospitalares. Elas não lutam pelos menores abandonados, pelas crianças que sofrem abusos físicos e psicológicos e nem pelas mulheres que são espancadas diariamente. Elas lutam pelos seus desejos egocêntricos e fúteis. LUXURIA.
vadias7
Sexo promíscuo e indiscriminado já é pratico há muito tempo no Brasil. Não só neste Pais, mas em muitos outros, onde a liberdade sexual vem sendo confundida com libertinagem sexual. Ser a favor do aborto depois que nasceu é fácil neh?! Já que elas são a favor de matar filhos “indesejáveis”, elas poderiam se suicidar… Afinal, quem garante que seus pais tem orgulho do que elas andam fazendo por aí?
vadias8



Pedem respeito dizendo que mulheres não são glúteos e seios, mas saem nuas, segurando cartazes com os seguintes dizeres: “A porra da buceta é minha e eu dou pra quem eu quiser”.
Colocam e expõem crianças em mais tenra idade neste pseudo-protesto, banalizando a imagem da mulher e, mostrando para estas crianças que mulheres são objetos sexuais e assassinas de bebês. Ensinam a estas crianças que ter Deus (Jesus, Alá… Enfim, como quiserem) em seus corações e seguir uma vida moralmente regrada, se respeitando e respeitando os outros é errado e feio. Mostram que o legal é o sexo, a nudez, a violência, a intolerância e, claro, o assassinato de bebês.
vadias11
Esta garotinha segura um cartaz escrito: Meu corpinho, minhas regrinhas, desde já e sempre e, nas coxas, a palavra PUTA. Elas caracterizaram uma criança tão pequena como dona de seu corpo, com discernimento sexual e, o rótulo de PUTA. Cadê o conselho tutelar?
Esse pseudo-protesto é uma imensa contradição por si só. As feministas do movimento não lutam por um ensino melhor, por condições de trabalho melhor para as mulheres… Pelo fim do assédio sexual e moral no trabalho, faculdade, transportes públicos, vias públicas, estágios, etc… Elas lutam pela legalização do aborto, o direito de expor seus corpos nus em vias públicas sem serem questionadas ou incomodadas, ressaltando que homens andam sem camisetas (elas só esqueceram que homens não possuem seios. Seios que culturalmente são símbolo da feminilidade e aleitamento materno, portanto não é de bom tom expô-los como se fossem objetos a venda em uma vitrine qualquer). Lutam contra qualquer tipo de consciência religiosa, lembrando que:
“A Constituição Brasileira garante o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e as suas liturgias” (artigo 5.o, inciso VI).
vadias13
Uma “manifestação” como essa é um ato de agressão aos princípios e crenças pessoais, que devem ser respeitados. Portanto independente da Igreja (Católica, Evangélica, ou outras…) é algo extremamente agressivo e desrespeitoso.
vadias14
Esta leva em seu corpo nu o desenho de um terço católico onde a cruz esta próxima a púbis, com os dizeres em seu peito nu: “Basta de Rosários”.
Hostilizam  TODOS OS CONSERVADORES E CRISTÃOS, agridem verbalmente e visualmente idosos, jovens, adultos e crianças. Elas agem como se a verdade delas fosse absoluta e única e ninguém tem o direito a pensar diferente, pois aqueles que pensam são hostilizados e ridicularizados por elas.
Estas “mulheres” PODEM E DEVEM SER PROCESSADAS. Atentado violento ao pudor, agressão verbal, hostilização e repreensão contra pessoas que, garantidos pela lei, estavam cultuando e exercendo a sua fé.
Elas protestam por protestar, não se trata de uma questão de princípios ou de defesa de causas sociais. Trata-se de um movimento, com a finalidade de fazer tumulto, baderna, falta de respeito, apelação e preconceitos respaldados pelo nome de “protesto”.
Manifestações deste nível deixam clara a sua mensagem, de que tudo podem, em nome de um pseudo-protesto, pois estão acima da lei, mesmo quando
proclamam sobre assassinatos e estupros de que são vítimas, as “vadias” se esquecem que os verdadeiros estupradores e assassinos não se comovem com palavras de ordem e sim, têm seus instintos aguçados por seus corpos que as próprias expõem e pela revolta de tais atos. PORÉM, EM NENHUM MOMENTO ELAS SE COLOCAM CONTRA A PEDOFILIA E O ABUSO FÍSICO E PSICOLÓGICO DE CRIANÇAS.



Jovens universitárias — protegidas por familiares e amigos — expõem os seios em praças públicas, dizendo que adora gozar, mostrando uma nudez ostensiva, como se fora um bem de uso público, falando: “Meu corpo, minhas roupas curtas e minha nudez não é um convite ao sexo”. Essa atitude incentiva SIM o estupro e a banalização feminina, incentivando os homens a nos verem como objetos sexuais. De fato, as “vadias” não induzem, com sua atitude, o estupro de si mesmas, mas, sem dúvida, contribuem para transformar a mulher em objeto e, ao fazê-lo, reforçam nos machos brutais a convicção de que mulher é mesmo para ser usada. Porém estes homens não terão acesso às protegidas “vadias” das marchas — suas vítimas serão quase sempre as infelizes mulheres de periferia, que acordam as 04:00 da manhã, embaixo de sol e chuva para trabalhar por um salário mínimo. A marcha das vadias passam a falsa impressão de liberdade feminina, levando jovens garotas, sem muito discernimento a aderirem um movimento falso e agressivo, sem fundamento e ideais.

Esse video  trata-se de um funk, feito pelos membros da Marcha das Vadias. Não sei se sinto pena ou repulsa…. Há um trecho em que elas dizem: “Criancinha libertária quer viver sem opressão”. Isso mesmo… apoiam a pedofilia e o sexo precoce como se a criança tivesse o discernimento sobre sua vida sexual
mulher de verdade
Elas ainda têm a cara de pau e a falta de discernimento de pedir respeito. Respeite para ser respeitado. O movimento feminista genuíno vai muito além de pedir a liberação do aborto, sexo sem compromisso e promiscuo. O movimento feminista caracteriza a luta das mulheres por direitos iguais, tais como: Salário condizente, o direito ao acesso á cultura e educação, o direito a voto, entre outros garantidos em cláusula pétrea na Constituição Federal. Nos mulheres NÃO queremos que estupradores saiam impunes, que maridos, namorados e/ou companheiro nos espanquem e saiam livre, não queremos que nossas crianças sejam objetos sexuais e “saco de pancadas” e que o agressor seja responsabilizado e exemplarmente punido… Queremos que estes crimes sejam tidos como HEDIONDOS. Queremos o direito de sustentar os nossos filhos com dignidade e tranquilidade sem ser alvo de preconceito da sociedade. Queremos o direito de exercer profissões ditas como exclusivas do homem, com a equiparação salarial. Queremos ganhar de acordo com a nossa função desempenhada e não de acordo com o nosso sexo. Nos não queremos ser contratadas pela nossa aparência e sim pela nossa capacidade. Nos não queremos ser vistas como símbolo sexual e sim como seres humanos, dotadas de direitos, inteligência e necessidades.
O movimento feminista, desde que surgiu a marcha das vadias, que ao meu ver, suas participantes são realmente vadias, pois mulher que é mulher, é guerreira, trabalha, estuda, paga suas contas e não saem por ai, mostrando o corpo, aceitando ser chamada de “vadia” e hostilizando a fé dos outros, perdeu a sua essência, sendo banalizada e ridicularizada por  tais participantes.
Lutar pelo direito ao aborto é muito fácil depois que se nasceu. Se cuidar e se prevenir, ninguém quer… Matar uma vida, ai sim! Normal…
Essas pseudo-mulheres não tem um ideal concreto para lutar, a não ser pedindo respeito ao direito do sexo promiscuo (Como se isso já não fosse super comum) ainda se dão ao direito de hostilizar as pessoas…
É preciso resgatar a real essência do movimento feminista, para não saírem expondo seus corpos, envergonhando sua família e seus filhos.
Triste, lamentável e desprezível.
Esse tipo de “mulher” não representa a população feminina que não tem tempo para essa palhaçada, pois estas estão estudando, trabalhando e lutando pelos direitos igualitários e por um futuro melhor para si e seus filhos.
vadias16 vadias16
Lutar contra o preconceito contra a mulher já é por si uma luta desgastante ainda mais quando umas quantas desocupadas que não se valorizam fazem tudo para denegrir aquela que é a imagem da mulher de verdade.

Fonte: http://meupensamentolivre.com.br/porque-eu-sou-contra-a-marcha-das-vadias/

terça-feira, 22 de abril de 2014

A dignidade da mulher

O feminismo moderno tem apresentado a figura da mulher de forma quase irreconhecível. Nesta aula, Padre Paulo Ricardo recorda a carta Mulieris Dignitatis de João Paulo II e explica qual é a verdadeira dignidade feminina.










 






Silvio Santos dá um bom conselho para as mulheres




Como entender que a Igreja não erra?



Todos os domingos o católico professa sua fé dizendo crer na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica, “esses quatro atributos, inseparavelmente ligados entre si, indicam traços essenciais da Igreja e da sua missão. A Igreja não os confere a si mesma; é Cristo que, pelo Espírito Santo, concede à sua Igreja que seja una, santa, católica e apostólica, e é ainda Ele que a chama a realizar cada uma destas qualidades”, assim ensina o Catecismo da Igreja Católica em seu número 811.
Atualmente virou moda afirmar que a Igreja é “santa e pecadora”. Esse pensamento não poderia ser mais errôneo. A Igreja é santa e imaculada, contudo, os seus membros são pecadores. Para explicar essa afirmação o Catecismo, por meio de um discurso do Papa Paulo VI, diz que:
"827.A Igreja «é santa, não obstante compreender no seu seio pecadores, porque ela não possui em si outra vida senão a da graça: é vivendo da sua vida que os seus membros se santificam; e é subtraindo-se à sua vida que eles caem em pecado e nas desordens que impedem a irradiação da sua santidade. É por isso que ela sofre e faz penitência por estas faltas, tendo o poder de curar delas os seus filhos, pelo Sangue de Cristo e pelo dom do Espírito Santo»”.
Assim, a Igreja é como um núcleo e cada católico é um membro que pode do núcleo aproximar-se ou afastar-se. Ao aproximar-se da Igreja, o católico é cada vez mais santificado pela Graça que dela emana. Da mesma forma, se livremente o católico decide afastar-se dela, por sua própria responsabilidade, afasta-se da comunhão com o Corpo de Cristo.
A santidade da Igreja é uma realidade que pode ser observada ainda em outros aspectos. Ela tem ainda a característica de ser infalível em matéria de fé. O próprio Cristo cuidou para que assim fosse:
“889. Para manter a Igreja na pureza da fé transmitida pelos Apóstolos, Cristo quis conferir à sua Igreja uma participação na sua própria infalibilidade, Ele que é a Verdade. Pelo «sentido sobrenatural da fé», o povo de Deus «adere de modo indefectível à fé», sob a conduta do Magistério vivo da Igreja.”
Trata-se, portanto, de um rebanho que há de permanecer fiel à Igreja mesmo sob tribulações. Não se trata de quantidade, mas sim de qualidade. De pessoas comprometidas com a fé, unidas à vida da graça, àquela santidade e santificação promovida pela união com o Corpo de Cristo. Estes serão os indefectíveis na fé, que responderão à pergunta: “mas, quando vier o Filho do Homem, acaso achará fé sobre a terra?” (Lucas 18,8)

Fonte: https://padrepauloricardo.org/episodios/como-entender-que-a-igreja-nao-erra

Fani Pacheco, ex-BBB, nua na Playboy

Fani Pacheco, ex-BBB, nua na Playboy

Fani Pacheco está de volta como “sister” no BBB 13. A bela morena (e loira) já exibiu seu corpo cheio de curvas na revista Playboy. Veja aqui o ensaio completo com todas as fotos disponíveis na web reunidas em um único post.

ShareThis

Veja também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...